Contato: (48) 3411.5660 - (48) 3437.7710

Perguntas Frequentes

Factoring empresta dinheiro?

Não. Factoring adquire seus recebíveis a prazo  e devolve à vista, ou seja, você vende a prazo para seus clientes e a Factoring compra esses recebíveis, através de cheques ou duplicatas, pagando à vista, com um deságil acordado entre as empresas.

O que é Factoring?

Factoring (fomento mercantil ou comercial) é uma atividade comercial caracterizada pela aquisição de direitos creditórios, por um valor à vista e mediante taxas de juros e de serviços, de contas a receber a prazo.

A atividade de factoring é legal?

Sendo o factoring uma atividade comercial mista e atípica, não-financeira, reconhecida pelo BACEN, através da Circular nº 1.359/88, não necessita de uma lei específica para sua operacionalização.
Segundo estudo do FCI (Factors Chain International), 67 países praticam regulamente o factoring.
O factoring, atualmente, está bem amparado pelo ordenamento legal vigente no Brasil, definido principalmente nos seguintes textos legais:
– Código de Ética, Disciplina e Auto-Regulamentação do Factoring (ANFAC Associação Nacional das Empresas de Fomento Comercial)
– Código Civil – art. 1.065 a 1.078 – referentes à compra de créditos mercantis;
– Lei nº 5.474/68, referente às duplicatas envolvidas na compra e venda mercantil e na prestação de serviços.

Factoring é só para empresas com dificuldades financeiras?

Não. O objetivo da factoring é adiantar o capital que cliente receberá a prazo, mediante a cobrança de uma taxa pelo risco da negociação. Sendo assim, caso o cliente precise de capital de giro imediato para pagar seus fornecedores ou até mesmo investir em equipamentos, também poderá procurar por uma empresa de fomento comercial para adiantar seus recebíveis e evitar endividamentos com bancos e financeiras, ou seja: a factoring pode ser usada, inclusive, conforme alguma decisão estratégica do setor financeiro da empresa e não somente em dificuldades ou emergências.

Factoring é agiotagem?

Não. Agiota é a pessoa física que faz uso de recursos próprios para realizar empréstimos mediante juros tratados entre ele e o cliente. Não existe contratos, garantias ou qualquer tipo de regulamentação para esta prática.
A atividade da factoring, no caso, conta com o amparo e regulamentação da Constituição Federal e pelo Código Civil, ou seja, trata-se de uma prática legal e que traz garantias de direitos e deveres para os dois lados – factoring e cliente. Além disso, factoring não pode prestar serviço para pessoas físicas, apenas para pessoas jurídicas e profissionais liberais.

Factoring faz empréstimos?

Não, na verdade o que ela faz é uma troca: o cliente cede o direito sobre os títulos creditórios à factoring e ela faz o pagamento sobre o valor dos mesmos. Simplificando a ideia: a factoring faz um adiantamento de recebíveis.